Amor aos Cães

Sou simplesmente apaixonada por animais: desde formiguinhas à elefantes…

Quando eu morava em Borá (interior de SP) tínhamos 2 cachorros e um gato. O Golias, a Bibi e a gatinha Katy. Eram nossos xodós. O Golias era meu melhor amigo, um pastor alemão que ganhei dos antigos patrões do meu pai. Era enorme, cor caramelo com rajadas pretas. Era maior que eu, meu guarda-costas, meu grande companheiro. A Bibi, uma cadelinha vira-lata, era um doce e muito manhosa. A gata Katy, só faltava falar de tão mimada que era. Quando fomos morar em São Paulo, tivemos que doar todos para uma vizinha.

* * * * * * * * * * * * * * * * *

Na casa dos meus patrões, todos são apaixonados por cães. Quando cheguei lá, me deparei com dois labradores a coisa mais linda do Mundo. Especialmente dóceis, educados e muito bem treinados. Um casal de cor caramelo, a Cherry e o Borys, me encantei logo de cara. Chegaram na casa ainda filhotes, hoje eles têm 8 anos. São o rei e rainha da casa!

Ano passado meus patrões adquiriram um casal de Golden Retrieve ainda filhotes, Leona e Kolly, são uns amores, mas muito brincalhões. Adoram pular, correr, latir. Bem diferente dos labradores, mas acredito que seja por conta da idade e por ainda não serem treinados. Em Outubro, eles farão 1 ano, e a partir da semana que vêm já vão começar a ser treinados pelo mesmo adestrador da Cherry e do Borys. Estamos todos ansiosos, porque os dois são muito “danados” e bagunceiros, mas amamos muito esses “pestinhas”.

Dia 1 de abril, chegou o mais novo membro da família, a Lilica, uma Maltês de 6 meses, a coisinha mais branca, fofa e peluda que eu já vi. Ela foi doada para meus patrões, através de uma vizinha do condomínio que estava de mudança para a Holanda, pois iria morar com seu filho por lá. Foi amor à primeira lambida (rsrs). Acho que ela também gostou de mim, não é à toa que na primeira semana a cadelinha não saia do meu pé. Não conseguia terminar meus serviços domésticos, acabou atrasando toda a minha rotina. Mas foi por uma boa causa… A Lilica andava para lá e para cá atrás de mim. Umas semanas depois, ela já estava dormindo no quarto comigo. E hoje praticamente ela me adotou como “sua dona”. Ao lado da minha cama, coloquei sua caminha e por lá ela fica…
Tenho que me desdobrar em cuidar da casa e da Lilica. Ela não aceita que ninguém cuide dela: Só eu! É muito manhosa e carente. Acho que todo esse comportamento, foi devido à falta que a dona anterior lhe fez. Ela gruda em mim o dia inteiro. Mas em compensação é muito inteligente e obediente (quer dizer, só obedece à mim).

Ela se tornou meu despertador… a razão para continuar … um dos motivos da minha alegria diária… com ela, não tenho mal-humor, dor de cabeça, não me sinto sozinha.
Entre um espirador de pó e uma vassoura, lá está a Lilica… minha companheira fiel…

 

 

Anúncios